SuperStar retorna com segunda temporada, mas ainda não surpreende

superstarA segunda temporada do programa SuperStar, mais um dos reality shows musicais da Rede Globo, começou neste domingo (12), com algumas novidades, entre elas, a troca dos três jurados, no sistema de classificação e a inclusão da votação pelo site. Mesmo assim, a atração, que no ano passado revelou a Banda Malta e sua música grudenta e tema de novela, ainda se mostra abaixo do nível que promete, mas é apenas o primeiro programa e os problemas podem e devem ser corrigidos ao longo da temporada.

O que mais me incomodou foi o aplicativo de votação, que justamente é o grande diferencial do reality. Na primeira temporada ele era o único meio para escolha das bandas. Neste ano também será possível votar pelo site da emissora. Mas, se o aplicativo é tão citado, deveria funcionar bem, e não foi isso que aconteceu, pelo menos comigo.

Na primeira tentativa de cadastrar não apareceu nada. Na segunda, o cadastro foi lento. Nesse momento já estávamos assistindo ao fim da segunda banda. Coincidentemente, as duas primeiras não passaram da marca de 70%, necessária para fazer a tela subir e classificar para a próxima etapa. Cada um dos três jurados, – Sandy, Thiaguinho e Paulo Ricardo – tem direito a um voto, que vale 7% na contagem de votos da banda.

Foto: Isabella Pinheiro/Gshow

A apresentadora Fernanda Lima é uma atração à parte, devido à sua desenvoltura no comando de um programa ao vivo, além de sua enorme beleza – Foto: Isabella Pinheiro/Gshow

Os erros também aconteceram com outros espectadores, que reclamaram na página do programa no facebook e no twitter, e com certeza, prejudicou as primeiras bandas a se apresentar, mas esse é só um detalhe, que sem dúvida está longe de preocupar a emissora. Só ficou estranho porque a apresentadora Fernanda Lima – que deve continuar chamando a atenção pela sua beleza e desenvoltura no comando – atribuiu a baixa votação à um “público mais exigente”.

Ignorando o fato de que o aplicativo não atualizava as bandas e que só consegui votar em uma das seis que se apresentaram no primeiro bloco, as apresentações estavam variadas e de um nível agradável. Ainda não dá para definir favoritos e apontar grandes artistas, pois o clima do programa ainda precisa esquentar. O cenário me pareceu mais amplo e bonito, as cadeiras dos jurados estão em cima das mesmas setas que representam a aprovação das bandas, com um visual mais limpo, diferente da mesa com fotos dos espectadores da edição anterior.

E falando dos jurados, até o fim da temporada eu vou saber falar se sinto saudade dos anteriores ou prefiro os atuais. A simpatia que ficava dividida entre Ivete e Fábio Jr. agora aparece na figura de Thiaguinho. Os comentários sobre a história da música e os ritmos que estão em alta ou não, que eram de Dinho Ouro Preto, agora são feitos por Paulo Ricardo, que pareceu hesitar várias vezes na hora de votar, dando a desculpa de que esperava pelo refrão para decidir se votava ou não.

Uma coisa é certa: terei saudade da espontaneidade de Ivete, que dava um banho em Fernanda Lima, entrando no meio das falas e sendo parte da animação do programa. Sandy é bem mais nova que Ivete, o que não significa ser menos competente, mas sentada naquela cadeira, ela me pareceu uma criança, sem muito alegre, fazendo comentários básicos e sendo simpática com os candidatos.

superstar jurados 2015

Paulo Ricardo, Sandy e Thiaguinho, jurados da edição 2015 do SuperStar – Fotos: Camila Serejo e Fábio Rocha/Gshow

Uma coisa que não terei saudade é do jeito meio “por fora” do Fábio Jr., que parecia não encaixar muito no trio da edição de 2014. Mas se o seu “substituto” nos comentários for o Paulo Ricardo, também não precisa ser tão quieto. Um meio termo: nem tão bobo e nem tão agitado.

André Marques, que também retornou na co-apresentação do programa, manteve o lado descontraído dos intervalos entre uma banda e outra. A novidade na ‘Sala de Interatividade’ é Rafa Brites, esposa de Felipe Andreoli, repórter do Encontro. A apresentadora substitui Fernanda Paes Leme, que conduziu muito bem o espaço na edição anterior. Rafa pareceu dar conta do recado e deve evoluir ainda mais até o fim da temporada.

O que eu realmente não entendi foi a presença da banda mineira Tianastácia entre os candidatos. Os roqueiros não são novos no mundo da música e naturalmente já têm um reconhecimento e uma grande experiência. Acabaram levando 77% e ficaram no time de Paulo Ricardo. Até o momento, a única banda do time do cantor de ‘Olhar 43’, já que agora, só cinco se classificam a cada domingo. Wannabe Jalva, que teve 71%, ficou em 6º no ranking do primeiro programa e vai para a lista da repescagem, que será realizada no fim desta fase.

Thiaguinho foi escolhido como padrinho de duas bandas: Vibrações (78%) e Leash (72%). Já Sandy será a madrinha de outras duas: Eletronaipe (77%) e Trio Sinhá Flor, as mais bem votadas da noite, com 84%. Cada jurado será padrinho de oito bandas, totalizando 24 classificados para a próxima fase de apresentações.

É claro que os internautas não iam deixar de comentar suas preferências, lembrar dos antigos jurados e criticar cada detalhe, como a apresentação final dos jurados, que cantaram trechos de seus sucessos. A expectativa é manter a audiência de um bom programa, em um horário não muito popular, além do fato de se tratar de música, que virou o filão presente em vários quadros ou programas, como o The Voice Brasil e o Iluminados, do Domingão do Faustão, entre outros. Ainda é cedo para ter certeza, mas em breve o SuperStar vai provar se é só mais um reality show musical ou se dá para confiar em seus vencedores e todo o resto que vem no pacote, sejam apresentadores ou cantores na pele de jurados e técnicos.


André Correia é co-fundador do Lavanderia, está a frente deste blog e escreve algumas das matérias e notícias apresentadas aqui. Paralelamente, se arrisca comentando os assuntos que gosta, como música, televisão e fotografia, além de crônicas sobre o cotidiano da profissão.