Quem não faz, leva. (INJUSTAMENTE)

Ontem pude acompanhar o que pra mim foi um (se não foi o) jogo mais bizarro de um Campeonato Brasileiro que já se teve notícia. Desde quando descobri minha paixão pelo futebol, acompanhei vários jogos, do meu time de coração (ou não), em que supostos “erros de arbitragem”, mudaram todo o panorama de uma partida.

Mas ontem esses “erros” passaram dos limites. Estavam nítidos até para os mais leigo dos telespectadores. 11 impedimentos, ONZE, contra o Galo, apenas DOIS aplicados corretamente. Uma expulsão que, de acordo com o árbitro, pelos gestos e palavras de “Pô, foi falta”, de Marcos Rocha (e ele estava coberto de razão, pois a falta foi acintosa, matando o contra-ataque do jogador pela direita). (mais…)