Pixels deixa a desejar, mas ainda vale a pena em um mundo cheio de Minions e dinossauros

Um dos posters promocionais do longa Pixels, que estreou nessa quinta (23) - Foto: Divulgação/Sony Pictures

Um dos posters promocionais do longa Pixels, que estreou nessa quinta (23) – Foto: Divulgação/Sony Pictures

Quem acompanha o mundo do cinema e conhece um pouco de videogame sabe que a proposta de Pixels, que estreou nessa quinta-feira (23), é boa e sua execução – desde o roteiro, passando pelos atores e chegando na pós-produção – poderia render um filmaço. Mas não é bem assim, e um dos grandes culpados é o próprio ator principal, Adam Sandler. A comédia de ficção científica é um prato cheio para os fãs mais nostálgicos dos clássicos dos Fliperamas dos anos 80. Farei agora uma breve análise com o mínimo de spoilers possível.

A história começa em 1982, no auge dos videogames arcade. O governo decide gravar um campeonato mundial de videogames e enviar para o espaço em uma cápsula, junto de diversas outras imagens que caracterizassem o planeta. Essa fase conta com uma boa atuação dos adolescentes que fazem os papéis de Sam Brenner, Willian Cooper e Ludlow Lamonsoff. (mais…)